10 filmes para ver (ou rever) após a 4ª temporada de Black Mirror

A essa altura você já terminou de assistir todos os episódios da 4ª temporada de Black Mirror. Provavelmente está com um vazio em sua vida, doido por algo que irá desgraçar a sua cabeça novamente, certo?

Pois viemos resolver o seu problema! Trouxemos aqui algumas indicações de filmes tão profundos e chocantes que não deixam nada a desejar aos mais bizarros episódios da série. Assim matamos as saudades enquanto aguardamos ansiosamente pela estreia da 5ª temporada de Black Mirror.

Como o conceito do que é “muito Black Mirror” pode variar de pessoa para pessoa, o critério utilizado para a escolha dos filmes foram narrativas que apresentam alguma inovação tecnológica capaz de interferir no status quo da sociedade e gerar desobramentos e consequências bizarras, além do que seria possível a princípio prever.

Vamos lá?

 

1 – Ex-Machina (2015)

 

Poster - Ex Machina

 

O primeira da lista é tão Black Mirror que até conta com um dos atores da série: Domhnall Glesson, o Ash do episódio Be Right Back (segunda temporada)

Ex Machina é um thriller independente de ficção científica dirigido por Alex Garland, em uma maravilhosa estreia como diretor. No filme, acompanhamos a história de Caleb, um dos programadores da maior empresa de tecnologia do mundo, a empresa de busca Blue Book (uma clara referência ao Google). Caleb foi o vencedor de uma competição cujo prêmio seria um retiro de uma semana na isolada mansão de Nathan (Oscar Isaac), o excêntrico CEO da companhia. Ao chegar lá, descobre que é esperado que participe de um experimento fascinante e inovador, que consiste em interagir com a primeira verdadeira inteligência artificial do mundo, uma bela mulher-robô chamada Ava, interpretada por Alicia Vikander (papel que a rendeu indicações a Melhor Atriz Coadjuvante no Globo de Ouro e no BAFTA Awards).

Ava já teria passado anteriormente em um Teste de Turing, avaliação conceituada em 1950 por Alan Turing (que teve sua história contada em O Jogo da Imitação) para identificar se uma máquina é capaz de apresentar um comportamento tão indistinguível de um ser humano que seu avaliador não seria capaz de identificar que é uma inteligência artificial.

A função de Caleb no experimento é dar o próximo passo, ajudando a avaliar se Ava seria genuinamente capaz de pensar e ter uma consciência. Indo mais além, se ele seria capaz de se relacionar e se identificar com a Ava, mesmo sabendo que ela não seria um ser humano real.

Estas são as principais temáticas de Ex Machina: o Teste de Turing e a questão de cópias e inteligências artificiais serem capazes ou não de apresentar uma consciência, situações bastante similares às reflexões apresentadas por Black Mirror em relação aos cookies, em episódios como USS Callister (quarta temporada) e White Christmas (especial de Natal).

 

 

2 – Marjorie Prime (2017)

 

Poster - Marjorie prime

 

Marjorie Prime é um filme baseado na peça de mesmo nome de Jordan Harrison, indicada ao Prêmio Pulitzer em Drama. Sua narrativa traz a história de uma família que ao perder um ente querido contrata um serviço inovador para fazer sua recriação holográfica, um tema de certa forma parecido com o tratado em Be Right Back, da segunda temporada de Black Mirror.

No filme, que se passa em 2050, Marjorie é uma mulher de 86 anos que perdeu seu marido Walter há 15 anos e já começa a sofrer também com a perda de sua memória. Sua família contrata o serviço para que Marjorie tenha a companhia da projeção holográfica de seu falecido marido, que conversa com ela e a ajuda a manter suas memórias vivas. A projeção é programada para conversar com Marjorie e através das histórias contadas conhecer melhor a personalidade de Walter para conseguir imitá-lo de forma cada vez mais perfeita.

Através de longos diálogos, como uma peça de teatro, as lembranças de Marjorie e de toda a família vão sendo reveladas, nos mostrando que a memória é subjetiva e alguns fatos estavam sendo escondidos dos integrantes da família. Marjorie Prime tem uma narrativa lenta, mas bastante bonita e sutil. Nos faz questionar nossas memórias, nossa relação com a família e as coisas que realmente importam na vida.

O ponto “mais Black Mirror” do longa é a reflexão que nos provoca: se tivéssemos a chance, recriaríamos uma projeção de nossos entes falecidos para atenuar nossas saudades e relembrar histórias?

O filme conta com um elenco de peso, com Tim Robbins, Geena Davis e Jon Hamm, que participou de White Christmas, o especial de Natal de Black Mirror.

 

 

3 – Her (2013)

 

Poster - Her

 

O quão Black Mirror seria alguém se apaixonar por um sistema operacional?

Esta é a proposta de Her, um romance de ficção científica escrito e dirigido por Spike Jonze, que se passa em um futuro não tão distante de nós. Nele, Theodore (Joaquin Phoenix) é um escritor solitário que acaba adquire um sistema operacional avançado (OS1), anunciado como o primeiro do mundo dotado de inteligência artificial. Em sua publicidade, afirma: “não é apenas um sistema operacional. É uma consciência”.

Theodore tem uma natureza introspectiva e depressiva, e está passando pelos estágios finais de seu divórcio. O escritor trabalha em uma empresa cujo negócio é escrever cartas de natureza pessoal para pessoas incapazes de escrever sozinhas, por conta de dificuldades emocionais, o que por si só já seria bastante Black Mirror. No entanto, ao adquirir o avançado sistema operacional, sua vida acaba sendo transformada pela onipresença de Samantha (Scarlett Johansson), a voz por trás do OS1, em sua vida.

Theodore e Samantha desenvolvem uma relação e acabam tendo discussões bastante profundas sobre a vida, até chegar ao ponto de se apaixonarem. Sem querer avançar em spoilersHer aborda os conflitos envolvidos em se viver uma relação amorosa com uma inteligência artificial. Afinal, diferentemente de Ava, em Ex Machina, Samantha não possui ao menos um corpo físico.

Apesar do filme contar apenas a história de Theodore, não é difícil imaginar pessoas na mesma situação se apaixonando por seus sistemas operacionais e evitando relações amorosas com outras pessoas, chegando a um estágio da sociedade em que as pessoas realmente deixem se relacionar entre si. Daria um belo episódio de Black Mirror.

Her foi indicado a inúmeros prêmios, dentre eles os Oscars de Melhor Filme e Melhor Roteiro Original, no qual foi o grande vencedor.

 

 

4 – Gattaca (1997)

 

Poster - Gattaca

 

Ethan Hawke, Uma Turman e Jude Law fazem parte do mundo de Gattaca, uma ficção cientítica Biopunk que fala de um tema bastante atual: as pesquisas biogenéticas a serviço do aperfeiçoamento da raça humana.

O filme se passa em um futuro não tão distante, governado pela eugenia e onde todos cidadãos são registrados de acordo com seu mapeamento genético. Nesta sociedade, as crianças são concebidas através da manipulação genética para garantir que herdem apenas os melhores traços de seus pais. De acordo com esta biometria, estes indivíduos criados de forma otimizada são classificados em “válidos”, enquanto os concebidos da forma tradicional são chamados “inválidos”, por estarem mais suscetíveis a doenças e desordens genéticas frutos da variabilidade genética inerente a reprodução humana. A tecnologia é tão avançada que consegue estimar a exata expectativa de vida de um indivíduo.

Apesar da discriminação genética ser ilegal, isso não impede que empresas usem a biometria para pesquisar o perfil de candidatos a vagas de emprego, selecionando apenas os mais “perfeitos” e relegando os “inválidos” para trabalhos menos qualificados. Você deve ter notado que, assim como Black Mirror, o filme traz uma alegoria futurísca para falar de questões sociais bastante atuais.

O personagem principal Vincent Freeman, interpretado por Ethan Hawke, foi concebido fora do programa eugenista, o que indica uma alta probabilidade de disordens e uma expectativa de vida de apenas 30 anos. Por este motivo, Vicent sofre discriminação genética e se vê impedido de realizar seu maior sonho: viajar para o espaço. Isto o força a assumir a identidade de outra pessoa com a base genética superior e correr atrás de seus objetivos.

Apesar da questão da biogenética não ter sido abordada em Black Mirror até o momento, poderia ser claramente uma temática para a quinta temporada.

 

 

5 – Vanilla Sky (2001)

 

Poster - Vanilla Sky

 

“O mel nunca é tão doce sem o fel.”

É o que nos ensina Vanilla Sky, longa dirigido por Cameron Crowe (Jerry Maguire e Quase Famosos) e estrelado por Tom Cruise, em uma adaptação do filme espanhol Abre Los Ojos. 

Vanilla Sky é um thriller psicológico/romance que nos conta a história de David Aames (Tom Cruise), um playboy milionário que vê sua vida privilegiada escorrer pelos seus dedos após um acidente que o deixa desfigurado, provocado pelo ressentimento de Julie Gianni (Cameron Diaz), sua ex-amante.

O filme se alterna entre as memórias de David, seus diálogos com o psicólogo da polícia McCabe (Kurt Russell) e sua situação atual, onde tenta reconstruir o seu rosto desfigurado pelo acidente. David passa por um intenso processo de amadurecimento através de suas relações com Sofia, sua mais nova paixão, e Brian, seu amigo de infância, além de ter que descobrir o que é e o não é real.

Não vale entrar em muitos detalhes sobre a trama para não dar spoilers e estragar a experiência, mas podemos dizer: é impossível assistir a Vanilla Sky e não se lembrar de San Junipero (terceira temporada), tanto pelo seu tema central, quanto pela narrativa “agridoce”.

Curiosidade: tanto a versão americana como a espanhola são estreladas por Penélope Cruz no papel de Sofia Serrano, o par romântico de David.

 

 

6 – O Preço do Amanhã (2011)

 

Poster - O preço do Amanhã

 

O Preço do Amanhã é um dos filmes com o conceito mais Black Mirror.

Estrelado por Justin Timberlake e Amanda Seyfried, O Preço do Amanhã nos leva a um futuro onde todos os indivíduos são geneticamente modificados para que deixem de envelhecer ao completarem 25 anos. No entanto, não é tão simples assim. A partir dos 25 anos as pessoas passam a ter apenas mais um ano de vida, e para viver mais precisam comprar mais tempo.

A premissa, no entanto, cria uma sociedade extremamente desigual. Enquanto os ricos conseguem comprar décadas e décadas de vida, se tornando quase imortais, os pobres batalham a cada dia, implorando, roubando ou pedindo dinheiro emprestado para comprar algumas horas a mais. O tempo virou, literalmente, a principal moeda de troca da civilização.

É neste contexto que Will Salas (Justin Timberlake) é acusado injustamente de roubar o tempo de outro homem, provocando sua morte. A partir daí, o personagem terá de provar sua inocência, lutando minuto a minuto com a ajuda de Sylvia Weis (Amanda Seyfried).

Apesar de ter divido a opinião dos críticos, o conceito “e se…” do filme dialoga bastante com as premissas de Black Mirror. O Preço do Amanhã lembra indiretamente o episódio 15 Million Merits (primeira temporada), onde uma camada da sociedade é obrigada a gastar todo seu tempo pedalando para ganhar dinheiro e gastar em frivolidades.

 

 

7 – Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (2004)

 

Poster - Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

 

Chegamos a um dos maiores clássicos cults de nossa geração: Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças. O drama escrito por Charlie Kaufman (Quero Ser John Malkovich) ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Original e trouxe Jim Carrey em um dos seus mais importantes papéis dramáticos, ao lado de O Show de Truman.

O longa mostra a história do casal formado por Joel Barish (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet), cujo relacionamento azeda e chega a um fim. Ambos então decidem recorrer a uma nova tecnologia (muito Black Mirror) que promete apagar as memórias de relacionamentos acabados, libertando as pessoas deste sofrimento desnecessário. O filme então mostra a luta de Joel para corrigir seu erro, que se arrepende do procedimento ao perceber as memórias de seus momentos juntos se esvaindo.

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças acaba sendo um thriller psicológico que recorre a uma narrativa não-linear para explorar as temáticas da memória, destino e amor romântico. O filme é bastante Black Mirror no sentido de tratar de explorar as nuâncias das memórias em relacionamento, assim como o episódio The Entire History of You (primeira temporada).

Também é interessante notar que o aspecto visual da tecnologia no filme lembra bastante a utilizada para resgatar as memórias individuais em Crocodile (quarta temporada), com uma estética retrô e improvisada.

 

 

8 – Repo Man: O Resgate de Órgãos (2010)

 

Poster - Repo Men O Resgate de Órgãos

 

Em um futuro não muito distante, uma companhia chamada “The Union” desenvolve orgãos humanos artificiais que conseguem estender e melhorar a vida humana. No entanto, o preço é alto. E quem não consegue pagar suas dívidas é visitado pelos “Repo Men”, mercenários que tomam os orgãos de volta, sem qualquer cuidado com a saúde ou sobrevivência dos devedores.

Este é o universo de Repo Men: O Resgate de Órgãos, um thriller de ação e ficção científica que se passa em 2025. O filme é baseado no livro The Repossession Mambo (2009), de Eric Garcia, e seu enredo gira em torno de Remy (Jude Law), um “Repo Men” que sofre uma falha cardíaca exercendo seu trabalho. No dia seguinte, descobre que recebeu um coração artificial e agora tem uma pesada dívida. Como não consegue mais exercer sua função, passa a ser perseguido pela The Union e seu antigo parceiro Jake (Forest Whitaker).

Apesar de Black Mirror não ter se aventurado na temática da criação de orgãos artificiais, com certeza é um tema que poderia ser explorado nas próximas temporadas da série. Não iremos dar spoilers aqui, mas a cena final do filme é definitivamente muito Black Mirror.

 

 

9 – A.I. – Inteligência Artificial (2001)

 

Poster - AI Inteligência Artificial

 

Uma espécie de conto de fadas tecnológico, A.I. – Inteligência Artificial se passa em um futuro distópico em que o aquecimento global derreteu as calotas polares, subindo o nível dos oceanos e dizimando todas as cidades costais do planeta. E com elas, boa parte da população mundial.

O drama é dirigido e escrito por Steven Spielberg, que adaptou o roteiro do livro Superbrinquedos Duram o Verão Todo, de Brian Aldiss. Apesar do elenco contar com Jude Law e Frances O’Connor, a grande estrela é Haley Joel Osment, que faz o papel de David, uma criança robô dotada de inteligência aritificial e programada para amar.

No futuro de A.I., os humanos teriam desenvolvido uma linha de robôs chamados Mecha, capazes de pensar e sentir emoções. David, por sua vez, foi criado com a intenção de oferecer conforto à Monica (Frances O’Connor), uma mãe que teve seu filho colocado em animação suspensa até que pudesse ser curado de uma rara doença.

Este belo filme acompanha as aventuras de David, Gigolo Joe (Jude Law) – um robô gigolô – e Teddy, um ursinho robótico desenvolvido para ser a companhia e proteção de David. O trio busca a “Fada Azul” na esperança de realizar o maior sonho de David: se tornar um garoto de verdade.

Robôs dotados de inteligência artificial, com o objetivo de ajudar os humanos a lidar com a perda de entes queridos, foi um tema abordado por Black Mirror em Be Right Back (segunda temporada).

 

 

10 – O Universo no Olhar (I Origins – 2014)

 

Poster - O Universo No Olhar - I Origins

 

I Origins é uma obra fantástica que mistura tecnologia e questões espirituais profundas. O filme é uma produção independente dirigida por Mike Cahill, conhecido também por A Outra Terra, outro filme desgraçador de cabeças.

Na trama de I Origins, traduzido no Brasil como O Universo no Olhar, Ian (Michael Pitt) um biólogo molecular e sua parceira de laboratório Karen (Brit Marling) estão envolvidos em uma pesquisa científica sobre a evolução dos olhos humanos. A pesquisa é motivada pela total hostilidade e ceticismo de Ian em relação a religiões e temas supersticiosos, como por exemplo a teoria do design inteligente. O pesquisador espera descreditar totalmente esta teoria através da reconstrução passo a passo da evolução do olho enquanto aparato biológico.

Durante sua pesquisa no entanto, se depara com informações que questionam suas crenças mais profundas.

Evitaremos entrar em detalhes para não dar spoilers. No entanto, podem confiar que, assim como Black MirrorI Origins é o tipo de obra que ao acabar te deixa com questionamentos e reflexões profundas sobre a vida, o universo e tudo mais.

 

 

Bônus: Click (2006)

 

Poster - Click

 

Achou que Click ia ficar fora desta lista? Achou errado!

Click é uma comédia/drama estrelada por ninguém mais ninguém menos que Adam Sandler. Seu personagem, o pai de família Michael Newman, encontra um controle remoto mágico, capaz de acelerar ou rebobinar a vida de seu dono. No entanto, o que parecia ser um grande presente, acaba se revelando uma verdadeira maldição. A dinâmica lembra bastante as tecnologias vendidas por Rolo Haynes no episódio Black Museum (quarta temporada), que a princípio parecem fantásticas, mas sempre trazem algum tipo de “pegadinha”.

Buscando uma promoção no trabalho, o personagem acaba não dando atenção a sua família e usando o recém adquirido controle remoto mágico para acelerar as partes “chatas” de sua vida para chegar logo à sua promoção.

Apesar de trazer Adam Sandler, é um filme que trata de temas profundos, culminando em uma situação bastante dramática. É um alerta não só para termos cuidado com o que desejamos, como também para prestarmos atenção na vida que acontece no agora, ao invés de sempre buscar a realização pessoal no futuro. Quem diria que Adam Sandler nos proporcionaria reflexões deste calibre?

 

 

E você, que outros filmes no estilo de Black Mirror sugere para nossos leitores?

Não se esqueça de curtir nossa página no Facebook ou nos seguir no Twitter! 🙂

Marcos Malagris

Publicitário, professor de marketing digital e graduando em Psicologia, gasta seu escasso tempo livre navegando na Interwebz, consumindo nerdices e contemplando a efemeridade da existência. Me siga no Twitter ou no Facebook!

4 comentários em “10 filmes para ver (ou rever) após a 4ª temporada de Black Mirror

  • 30 Janeiro, 2018 at 17:39
    Permalink

    Fiquei bem chateado com a ausência de Click na lista. Tava scrollando pra comentar e vi o bônus. Achou que não ia ter click!? Achou errado otário!

    Reply
    • 31 Janeiro, 2018 at 21:10
      Permalink

      ahhaha não poderia ficar de fora! =P

      Reply
    • 31 Janeiro, 2018 at 21:11
      Permalink

      Boa!

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *